Ser diferente dá medo

O medo é uma emoção que muitas vezes, ao longo da história nos protegeu. Ele, hoje, continua aparecendo quando vemos alguma ameaça ou perigo

Medo-Insegurança-CidadeO medo pode limitar sua vida profissional e pessoal | Fotografia: Google

Ter medo é um sentimento muito presente nas pessoas. Ele protege, mas em alguns momentos ele pode limitar as ações do ser humano e a exposição do verdadeiro ‘eu’ por receio de ser julgada e excluída do grupo. Em conversa com a psicóloga Ana Cristina Mendes falamos sobre as consequências desse sentimento e por que ser diferente nos causa insegurança. Confira:

 

JC: De onde vem o sentimento de medo?

AC: O medo é uma sensação natural, o que seria do ser humano nos primórdios do tempo sem o medo? Provavelmente não estaríamos aqui hoje se o homem primitivo não tivesse, também, medo dos animais maiores e mais fortes que ele. O que aconteceu é que com a diminuição dos perigos reais de morte, os perigos psicológicos passaram então, a ter espaço. Hoje encontramos o medo da reprovação, do fracasso, estes perigos atacam a identidade, a individualidade do ser humano, ser sensato é saudável, para que a pessoa conviva bem em sociedade, mas se vem em excesso pode travar a pessoa de forma que ela não consiga realizar o que precisa ou deseja.

 

JC: De que maneira ser diferente da maioria beneficia o ser humano?

AC: Cada pessoa tem em si aspectos que a aproxima do grupo em que vive e aspectos que a tornam diferente. Ser diferente, se dá na liberdade de ser você mesmo, inclusive nos aspectos que o diferenciam da maioria é benéfico ao homem porque ele não precisa fazer esforço. Esconder as características que te tornam diferente exige um grande esforço psíquico, que mais cedo ou mais tarde se tornará pesado demais para carregar. Ao contrário, se dar a possibilidade de ser diferente, ser o que você realmente é, te da liberdade, a liberdade de ser o que sentir necessidade, independente das consequências dessa escolha.

É importante destacar a aqui, que quando alguma pessoa resolve ser diferente, o benefício não é apenas dela, que se torna livre, mas do grupo em que vive, este grupo precisará aceitar essa diferença, aceitando-a evoluirá também. Ou seja, escolher ser diferente, em suas características específicas, traz crescimento para a pessoa e para o grupo que ela convive.

 

JC: Porque ser diferente nos causa medo?

AC: Todos nós somos diferentes, cada ser humano, em suas individualidades tem aspectos e sensações exclusivas. Pessoas compram roupas, fazem gestos, usam palavras da moda para sentirem que pertencem ao grupo, essa sensação de pertencimento traz segurança. Ao contrário se você faz a escolha de ser diferente precisará bancar as consequências disso sozinho, terá tido a liberdade de fazer a escolha de ser diferente, por outro lado, arcar com as consequências disso, gera medo, ‘Será que dou conta?’. Temos ainda outro aspecto, o ser humano tende a reagir com receio ao que é diferente, pois o que é conhecido é ‘seguro’, o diferente, a gente nunca sabe o que pode acontecer, enquanto sou como os outros, sei que terei as respostas que os outros têm, a partir do momento que mudo minha forma de ser no mundo terei respostas exclusivas, e ‘Como irei lidar com elas?’.

 

JC: E quais as consequências dessa insegurança?

AC: Vem o medo de ser rejeitado, – ‘Todos são assim, se eu for diferente ficarei excluído.’, o medo do fracasso e do julgamento, – ‘E se der errado, o que irão pensar de mim? Dirão que só deu errado por que fui diferente.’ Entre tantos outros pensamentos, estes, com frequência aparecem levando a pessoa a se questionar se realmente vale a pena ser o que ela realmente é, ser diferente.

 DSC_0039-2 - CopiaO medo é relativo à situação do local em que a pessoa vive e as experiências já vividas | Fotografia: Flávia do Carmo

JC: O ser humano tende a seguir a manada e evitar ser diferente. Porque?

AC: Exatamente pela sensação de segurança. Ser como os outros, faz com que pertençamos a um grupo, que saibamos como o grupo age, e mesmo que esse grupo passe a agir de forma diferente a consequência virá para todos. Basicamente, o ser humano tende a seguir a manada porque não estará sozinho, e a consequência que virá, virá para todos.

 

JC: Quais os comportamentos de uma pessoa que sofre com o medo?

AC: O medo é natural, não tem como nos livrarmos dele. O que não pode acontecer é existir um medo excessivo, paralisante. Uma pessoa que tem medo excessivamente irá se privar de diversas situações que tem relação com seu medo, podendo inclusive prejudicar sua vida profissional e pessoal. O medo também aumenta o nível de ansiedade, sendo assim, a pessoa mesmo antes de uma possível situação amedrontadora já estará sofrendo.

 

JC: Muitas pessoas evitam expor uma qualidade por medo da opinião da sociedade. Qual o “peso” dessa opinião para o ser humano?

AC: É relativo, para cada pessoa a opinião alheia tem um peso. Isso depende um pouco da personalidade, de como a pessoa foi criada, da cultura, enfim, de diversos fatores. O ponto positivo é que é possível trabalhar isso. Se você percebe que deixa de fazer muitas coisas por opinião alheia, a tomada de consciência disso é essencial para mudar este comportamento. Se mesmo com a tomada de consciência você continuar se privando do que deseja, inclusive de ser você mesmo, por conta dos outros o processo psicoterapêutico pode ajudar.

 DSC_0014-2 - CopiaO medo não necessariamente deixará de existir, mas você pode aprender a lidar com ele não o deixando te limitar | Fotografia: Flávia do Carmo

JC: Como a pessoa que não segue a manada é vista pela sociedade?

AC: Estamos em um caminho para a aceitação do diferente, mas ainda muito longe de um ideal. Hoje em dia as pessoas têm muito mais espaço para serem diferentes, mas os que ‘olham torto’ ainda existem. A pessoa que tem um comportamento diferente é em alguns momentos admirada, pois no fundo é uma qualidade que a maioria das pessoas queria ter – poder ser você mesmo, ser diferente, independente do que os outros pensem. Em outros momento pode ser taxada e julgada. No entanto a pessoa que não segue a manada ao assumir ser diferente, assume também as consequências disso, e mesmo que não seja totalmente aceita deve se sentir tranquila, pois sabe que está escolhendo e vivendo segundo ela mesmo e não uma vida que os outros desejam que ela viva.

 

JC: Quais as consequências que o medo excessivo causa?

AC: O medo gera insegurança, com a confiança abalada a pessoa se torna reativa, assim, pode explodir em qualquer situação, que para os outros não tem lógica. A pessoa também não consegue enxergar por outras perspectivas ou se concentrar no que precisa fazer, já que está gastando toda sua energia tentando se livrar das situações que lhe causam medo, assim acaba sendo um pouco egoísta e desconcentrada.

 

 

Deixe seu comentário