Notas sobre ele

Com poesias e textos, ele conquista novos admiradores todos os dias

10532798_887080167971377_6483809354437612201_nZack é conhecido pelos textos nomeados “Notas sobre ela” | Fotografia: Arquivo Pessoal

Salvador é sua cidade atual, mas as malas já estão prontas para se mudar para a capital paulista. Conhecido pelos seus textos dedicados á alma feminina, ele sonha em viver das palavras, sonho este que está próximo de se realizar com o lançamento do seu primeiro livro previsto para fevereiro. Zack Magiezi se define como um cara comum, míope, tímido, que gosta de comer sempre as mesmas coisas, mas para seus leitores ele vai além, a maneira como ele ordena as palavras é mágica e sempre proporciona emoções.

Venha ler essa entrevista incrível, sou suspeita porque sou admiradora do dom com as palavras que esse homem tem. Confira:

Jornalista Curiosa: Você tem uma profissão além de escritor? Qual?

Zack Magiezi: Trabalho em colégio como coordenador administrativo (meio estranho né), mas a minha mudança para São Paulo é justamente a oportunidade de trabalhar com que eu amo.

 

JC: Quando e como a literatura entrou na sua vida?

ZM: Desde os meus 15 anos eu sou um leitor bem guloso, ler é destrancar os portões da imaginação.

 

JC: O que te inspira a escrever?

ZM: A vida, eu gosto de me demorar um pouco mais nos momentos, escrever é tatuar o tempo.

 

JC: Quando surgiu o “Notas sobre ela”?

ZM: Sou um grande fã de Chico que fala com maestria sobre a natureza feminina, descobri que a mulher é uma fonte inesgotável de inspiração. É como estar sempre diante de um enigma sem querer decifrá-lo totalmente.

 

JC: Quem te inspira ao escrever “Notas sobre ela”?

ZM: A figura feminina e seus labirintos.

 

JC: Uma pergunta que não quer calar: quem é ELA?

ZM: Ela é uma alma sem corpo, alguém que nunca vi e que tenho intimidade. Por isso, quando alguém se identifica com as notas ela se torna Ela.

 

JC: Todos os dias você escreve um texto ou têm dias que não tem “inspiração”?

ZM: Escrevo bastante umas 4 ou 5 notas por dia, isso me dá um “estoque” para os dias que passo em branco, acredito que todas as pessoas que escrevem passam por isso.

10536638_806963812649680_7005665889470306817_oZack tem o dom de transformar palavras em poesias | Fotografia: Arquivo Pessoal 

JC: Quando você criou o Estranherismo? E por que este nome?

ZM: Em Janeiro de 2014 aproximadamente. Estranherismo é a maneira de falar das coisas que deveriam ser comuns e que se tornaram estranhas nos dias de hoje.

 

JC: Você imaginou que seus textos ganhariam tanta proporção?

ZM: Não e nem sei como aconteceu.

 

JC: Hoje a página tem mais de 257 mil curtidas, como você lida com a popularidade?

ZM: Acho muito legal ver essa quantidade de pessoas envolvidas com algo que eu produzi em um momento de solidão, mas de certa forma eu me protejo dessa popularidade para manter a minha essência é paradoxal.

 

JC: Quando você notou que seus textos estavam chegando a tantas pessoas?

ZM: Quando vi alguns deles nas páginas que eu sou fã, quando vi os mesmos tatuados nas pessoas. É uma sensação estranha e boa.

 

JC: Tem ideia de quantas poesias já escreveu?

ZM: Nenhuma, os números não são meu forte.

 

JC: Qual livro que não pode faltar na cabeceira da cama?

ZM: O Jogo da Amarelinha do Cortázar e o Filho de Mil Homens do Valter Hugo Mãe, são livros que eu tenho um imenso carinho.

1980281_758437347502327_6851752752826235785_oZack tem mais de 386 mil seguidores no Instagram | Fotografia: Arquivo Pessoal 

JC: O que é amor para você?

ZM: Amor é o mistério que todo mundo pensa que conhece, acho que o amor só é amor se for indefinível.

 

JC: Qual o texto que você mais gosta?

ZM: Carta para a minha futura filha. (Clica aqui para ler esse texto!)

 

JC: Quais escritores te inspiram?

ZM: Vou falar sobre os escritores que eu leio, Cortázar, Valter Hugo Mãe, Saramago, García Márquez, Juan Rulfo, Octavio Paz. Kerouac,  Bukowski , Machado, Leminski , Manoel de Barros e adoro ler sobre Psicanalise.

 

JC: Tem um livro a caminho? Já tem nome e data de lançamento?

ZM: Tem sim, provavelmente em Fevereiro, quanto ao nome ainda não definimos.

 

JC: Tem alguns post’s que o texto aparece numa máquina de escrever. Essa máquina existe? Porque querendo ou não, ela virou uma marca dos seus textos.

ZM: Existe sim, ela foi um presente de um grande amigo. Espero mantê-la por muito tempo (tenho que encontrar um fornecedor de fitas).

12294744_1085465604799498_2826952605710545399_nZack descreve a realidade em forma de poemas | Fotografia: Arquivo Pessoal

JC: Alguma mulher já chegou para você e disse que se identificou com o “Notas sobre ela”?

ZM: Sim muitas mulheres, isso me arranca sorrisos enormes que me fazem cair em um estado pleno de alegria, pois retratar fragmentos da natureza feminina é algo bem difícil.

 

JC: O fato da Revista Bula divulgar alguns de seus textos, te ajudou a chegar a mais pessoas?

ZM: Com certeza, a Revista Bula é muito importante para mim, tenho um afeto imenso e também www.facebook.com/contioutra que me possibilitou um espaço para escrever quando eu quiser.

 

JC: O que os seus textos significam para você?

ZM: É como se meus fragmentos ficassem perdidos pelo mundo e quando isso acontece eu fico mais completo.

 

JC: As camisetas com suas frases estão a venda?

ZM: Em breve terão camisetas e outros produtos com os poemas.

 

JC: Deixe um recado para as pessoas que já foram cativadas por um texto seu!

ZM: Obrigado pela hospitalidade para com as minhas palavras viajantes.

Para conhecer um pouco mais de Zack:

Instagram_icon @zackmagiezi

 

face facebook.com/Estranheirismo

 

Deixe seu comentário