Escritor cruzeirense lança livro de crônicas
Entrevista

Escritor cruzeirense lança livro de crônicas

O amor está por aí, procurando por dois corações que estejam querendo amar

DSC_0380-2“O amor tem vida própria ás vezes, como se fosse uma pessoa de carne e osso” | Fotografia: Flávia do Carmo

Curioso demais, ele sabe que a escrita pode ajudar muitas pessoas. Para Vinícius Novaes as palavras têm esse poder. O cruzeirense que quando criança queria ser médico, hoje cuida das pessoas com seus textos, levando amor por onde passa.

Eu tive a alegria de conversar com o Vinícius e saber tudo sobre o primeiro livro que ele acabou de lançar. Confira:

 

Jornalista Curiosa: Há quanto tempo você escreve textos literários?

Vinícius Novaes: A memória que eu tenho mais clara foi quando eu tinha uns 11 anos e eu ia para São Paulo na casa de uma tia e ela tinha computador e impressora, e eu só tinha computador. Lembro que eu sentava ali e escrevia histórias bobinhas para uma criança de 11 anos e imprimia, então aquilo ali pra mim era um máximo, saber que as minhas histórias podem sair do computador. Essa pra mim é uma memória mais viva desde quando eu comecei a escrever e um dia desses encontrei um desses livrinhos e dá uma vergonha absurda das coisas que eu escrevia {risos}, mas enfim é o meu começo, eu tenho orgulho dele.

 

JC: E como veio a ideia dos textos do seu livro?

VN: Eu sempre tive vontade de lançar um livro, mais ou menos desde essa época que eu escrevia essas histórias bobas e o ano passado eu senti que estava na hora. Eu tenho alguns amigos que são escritores, eles gostam dos meus textos e me falavam “porque você não lança um livro?”, só que eu não sabia do que eu queria escrever.

Aí cheguei a conclusão de que iria escrever sobre o amor, mas o que sobre o amor eu não sabia porque o que mais tem no mercado são livro sobre o amor. Então decidi por crônicas e comecei a ver no meu computador alguns textos e boa parte desses textos eram sobre o amor. A partir daí selecionei alguns, e comecei a escrever outros. Esses textos do livro boa parte são recentes.

Aí eu brinquei que são 19 tentativas de entender o amor, são 19 textos que falam sobre o amor, em alguns desses textos o amor  ganha vida, ele se torna uma pessoa, ele conversa comigo autor e ás vezes ele nem conversa, ele simplesmente escreve o desabafo dele.

 

JC: Depois dessas 19 tentativas dá para entender o que é amor?

VN: Não sei, eu ainda não entendo muito bem não {risos}, mas acho que a graça está justamente nisso em você tentar entender alguma coisa que você não entende. Só que essa busca, esse caminho de tentar entender que é a delícia.

DSC_0390 - Copia“Só queria que todas as lembranças de um ex-amor não tivessem vida própria.” | Fotografia: Flávia do Carmo

JC: Quais são as suas inspirações?

VN: Eu tenho muita ideia no trânsito, é estranho isso ne?! Não sei se é por eu morar em São Paulo que acaba aflorando isso.  Mas se estou parado no trânsito, não tem nada pra pensar. Aí você começa a ver uma cena, imagina alguma coisa e dali surge a ideia. Tenho ideias sim em outros lugares, mas boa parte vêm quando eu estou saindo do trabalho e indo para a casa e fico parado no trânsito.

 

JC: E qual o texto desse livro que mais te marca?

VN: Que maldade {risos} vou ser bem clichê. Você vai perguntar para o pai qual o filho que ele mais gosta {risos}. O último é um que eu gosto bastante, que chama “O Amor Feliz”. Que é o amor falando e dando um desfecho para uma história que não te ligação, porque todos os textos do livro são independentes, mas que eu acho que sutilmente eles se conversam e esse é o texto que dá o desfecho.

 

JC: Além de escritor, você exerce outra profissão?

VN: Sou jornalista lá em São Paulo trabalho no jornal Propaganda e Marketing. É um mercado que também de certa forma me inspira, porque a gente está direto em contato com os publicitários, com os diretores de criação, é um ambiente que você acaba respirando um pouco de criatividade.

 

JC: Qual a importância do romântico em pleno século 21?

VN: As pessoas me perguntam se eu sou romântico, eu não sei. Eu acho que há várias formas de ser romântico. A gente tem na cabeça que o romântico é aquele que leva flores e toca serenata. Ele é romântico? É. Mas se você não for assim, existem outras formas de você demonstrar o amor.

DSC_0363-2“O eu te amo, tenho aqui pra mim, é o primeiro sintoma de que o amor transbordou” | Fotografia: Flávia do Carmo

JC: Quais amores as pessoas podem encontrar dentro do seu livro?

VN: Os amores que estão dentro delas! O livro só vai despertar esses amores, esse é o meu objetivo.

 

JC: E por que do título “Eu te amo, mas estou bêbado”?

VN: Eu falo que na realidade esse título não é meu {risos}. Porque teve um dia que eu estava em São Paulo, tinha saído do trabalho e eu parei numa lanchonete para comer alguma coisa, estava um dia frio, chuvoso e só tinha eu e mais um homem no local. Ele estava bêbado, falando no telefone com alguém e ele dizia “eu te amo, mas estou bêbado, eu te amo, mas estou bêbado” e aí eu pensei “é isso”. Na época eu nem tinha pensado no livro, mas eu fui da lanchonete até em casa falando no carro “eu te amo, mas estou bêbado, eu te amo, mas estou bêbado” para não esquecer. Cheguei em casa, escrevi o relato e por trás dele eu falo sobre o ‘eu te amo’ e faço algumas reflexões sobre essa frase. E na hora que eu fui fechar o livro eu pensei “bom preciso dar um nome” aí eu olhei os títulos e não teria como não ser esse.  Mas eu falo que ele não é meu, por que não foi eu quem falei, eu apenas fui muito feliz em observar o que o homem estava falando e me apropriei dele.

 

JC: Em pleno século 21, as pessoas têm pressa, querem tudo pronto, não têm tempo para descansar. O que o amor diria para essas pessoas?

VN: Ele pediria calma. Dá pra você amar mesmo com pressa, não é uma questão de tempo, o amor é intensidade e sinceridade. É isso que ele precisa. Você pode amar com pressa, acho que a pressa não é inimiga do amor.

Eu me chamo Flávia do Carmo

2 thoughts on “Escritor cruzeirense lança livro de crônicas

    1. Olá Thabatta, que felicidade ter você por aqui 😉
      O livro do Vinicius é incrível e nos faz refletir sobre os amores <3
      Beijos e volte sempre!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *